Buscar
  • Ricardo Welbert

Caso raro: paciente com órgãos invertidos passa por cirurgia em Divinópolis


Cirurgiões usaram método inédito em Divinópolis de imagem intravascular (Foto: CSSJD/Divulgação)

De acordo com a anatomia humana, o coração está ao lado esquerdo do peito, assim como o estômago e o baço. Já o fígado está no lado direito. Mas, algumas pessoas nascem com órgãos internos no tórax e abdômen em posições invertidas? Essa condição congênita atinge apenas 0,01% da população mundial.


O caso raro foi diagnosticado em uma paciente de 67 anos que deu entrada no Complexo de Saúde São João de Deus, em Divinópolis, com trombose cavo-ilíaca femoral à direita. De acordo com o cirurgião vascular e endovascular Gustavo Laranjo, o desenvolvimento do coágulo foi causado pelo fato da paciente ser portadora da condição.


“Ela apresentava uma compressão na perna direita que causava inchaço, dor e redução da mobilidade. No primeiro momento identificamos que a paciente apresentava trombose na perna, no setor cavo-ilíaco, causado por esta compressão crônica da veia ilíaca comum direita. Com isso constatamos ser a Síndrome de Cocket, uma vez que no “situs inversus” os órgãos que deveriam estar à esquerda estão à direita, comprometendo a circulação. Então, realizamos a colocação de um stent”, detalha o cirurgião.

Um ano depois


Após um ano do primeiro atendimento, a paciente retornou ao CSSJD com um novo bloqueio, apresentando trombose parcial do stent. Para restabelecer a circulação, Gustavo Laranjo e o também cirurgião vascular Robert Amorim elaboraram uma nova estratégia e submeteram a paciente a um procedimento cirúrgico.


“Realizamos o cruzamento da oclusão venosa seguido então do estudo pela ultrassonografia intravascular, primeira vez utilizado em Divinópolis, essencial para identificarmos as intercorrências e assim realizarmos a angioplastia do segmento venoso cavo-ilíaco com balão de alta pressão. Seguido de posicionamento de stent venoso”, explica Gustavo.

Após o procedimento inédito em Divinópolis, foi realizado um novo estudo que comprovou o sucesso da cirurgia e o controle do tratamento. Agora a paciente segue para o acompanhamento ambulatorial.


“O Complexo de Saúde São João de Deus parabeniza e agradece todos os profissionais envolvidos no procedimento, que consolida a instituição na vanguarda da medicina, levando aos seus pacientes as melhores e mais avançadas técnicas nas diversas especialidades. Tudo isso aliada a uma assistência de excelência, humanizada e com foco na inovação”.

44 visualizações0 comentário