Buscar
  • Ricardo Welbert

Fabricantes de calçados que se reinventaram na pandemia impulsionam alta na arrecadação

A afirmação é de Ronaldo Lacerda, presidente do Sindicato Intermunicipal das Indústrias de Calçados de Nova Serrana (Sindinova). Em entrevista à MAIS!, ele comenta a notícia divulgada nesta quarta-feira (27) de que de janeiro a setembro de 2021, Nova Serrana arrecadou com o Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS) o valor total de R$ 58.666.161,40. Este montante se refere a todas as atividades econômicas existentes no município.


O valor apurado no mês período no ano passado foi de R$ 37.426.797,43, diferença de 56,75%; e no ano anterior (2019), o resultado foi de R$ 46.150.541.49, variação de 27,12%, segundo dados apontados pela Administração Fazendária.


Este montante se refere a todas as atividades econômicas existentes no município. O valor apurado no mês período no ano passado foi de R$ 37 bilhões. Diferença de 56,75%. Esses dados foram fornecidos pela Administração Fazendária do município. Ronaldo Lacerda avalia que a indústria no Brasil todo busca a recuperação econômica - e tem conseguido.


"Isso está acontecendo. Temos visto isso nos números de empregos. Tem gerado muitos empregos agora em 2021. Temos visto esse número da indústria calçadista tendo um desenvolvimento bom. Isso mostra o poder de recuperação do nosso segmento, que emprega muito. Achamos que deve continuar assim até ao fim do ano".

Ainda de acordo com Ronaldo Lacerda, isso se deve muito aos fabricantes, que aumentaram o consumo de matérias-primas em cerca de 60%. "Fabricantes e fornecedores precisaram se reinventar, melhorar seus produtos para justificar grandes aumentos de preços. Muitos fabricantes criaram novas coleções e investiam mais pra poder vender seus produtos a preços que pudessem fazer jus aos novos custos que estão tendo".


Estado


E os números positivos em Nova Serrana refletem uma realidade comum na maior parte dos municípios de Minas. O Estado manteve o ritmo de alta na geração de empregos em setembro, com 29 mil postos de trabalho abertos. Conforme o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), Minas registrou saldo positivo, com 186 mil admissões e 157 mil demissões.

7 visualizações0 comentário