Buscar
  • Ricardo Welbert

Lar de Idosos São Vicente de Paulo é interditado em Divinópolis


Imagem de arquivo mostra a fachada do asilo (Foto: PMD/Divulgação)

O asilo São Vicente de Paulo, mais conhecido como Vila Vicentina, foi interditado pela Prefeitura de Divinópolis depois que a Vigilância Sanitária municipal detectou algumas irregularidades. Uma delas envolve o baixo número de funcionários para cuidar de mais de 80 idosos que vivem na instituição.


Participe do grupo de notícias da MAIS! no WhatsApp


Foram notadas irregularidades sanitárias como falta de limpeza, higienização e também falta de técnico de enfermagem, enfermeiros e cuidadores em plantões noturnos, que são necessários. Além disso, várias pessoas tomam banho ao mesmo tempo, há medicamentos vencidos e o acondicionamento das fraldas não é correto.


Com a interdição, a instituição fica proibida de receber novos internos até que os problemas sejam resolvidos. A Prefeitura acrescenta que o ocaso foi descoberto na última terça-feira (12) durante uma visita da Vigilância à Vila Vicentina para uma fiscalização de rotina.


Medidas


Depois que a Vigilância comunicou o fato, a Prefeitura de Divinópolis convocou uma reunião com os conselhos municipais do Idoso e da Saúde e Comissão de Saúde da Câmara, Assistência Social e representantes do lar para discutir a situação. O Município não informou o que foi decidido nesta reunião.


A Prefeitura destacou que a situação está sendo acompanhada pelo Ministério Público estadual e afirmou que não medirá esforços para garantir o bem-estar dos idosos da cidade, seja em clínicas particulares ou instituições filantrópicas.


Posição da instituição


Em nota à TV Integração, a direção da Vila Vicentina declarou que “promoveu a reestruturação interna e tirou da coordenação e responsabilidade técnica da entidade”.


A instituição informou também que dialoga com administração municipal para regularizar as questões indicadas pela Vigilância Sanitárias e que enviou uma proposta de desinterdição. Esse texto deverá ser analisado por uma comissão composta por procuradores do Município.


A Polícia Civil informou que também esteve no local e que um inquérito policial foi instaurado para averiguar o caso. Por enquanto não há detalhes da investigação.


Com informações do "G1" e da "TV Integração"

42 visualizações0 comentário