top of page
Buscar
  • Foto do escritorRicardo Welbert

Reconstituição de duplo homicídio em Bom Despacho derruba tese de bala perdida e confirma execução

Adalgisa Mendes, 50, foi executada porque viu o assassinato, diz Polícia Civil


Momento da reconstituição do duplo homicídio em Bom Despacho (Foto: Aline Fonseca/G1)

A Polícia Civil fez hoje a reconstituição do duplo homicídio de um jovem e uma servidora pública no bairro Ana Rosa, em Bom Despacho, em abril de 2021. Os investigadores deram detalhes do inquérito e revelaram que a servidora Adalgisa Mendes, de 50 anos, foi executada e não vítima de bala perdida, com havia sido informado inicialmente pela corporação.


A rua onde o crime ocorreu foi fechada e isolada durante a reconstituição. O trabalho durou cerca de duas horas. Os irmãos suspeitos não deram deram muitos detalhes sobre o dia do homicídio. Apesar disso, a polícia conseguiu esclarecer o que era preciso.


Foi montado um aparato para demonstrar, quebrar pequenos detalhes que a investigação ainda não tinha deixado esclarecidos. Agora os investigadores já têm elementos suficientes que possam levar os autores a julgamento. Eles identificaram um terceiro suspeito, que era o motorista do veículo usado no dia crime e contra o qual estão sendo reunidas provas para pedir a prisão dele.


Não foi bala perdida


Adalgisa em trecho de vídeo dedicado ao Dia da Mulher (Foto: PMBD/Divulgação)

A Polícia Civil informou ter constatado que a servidora municipal morta junto com o alvo não foi atingida por uma bala perdida, como havia sido informado inicialmente. Adalgisa Mendes, de 50 anos, foi executada porque viu toda ação dos criminosos. Segundo os investigadores, o objetivo inicial dos criminosos era de matar qualquer membro de um grupo rival, mas mataram a mulher apenas porque ela viu o assassinato.


Sobre Adalgisa


Adalgisa nasceu em Araújos e morava em Bom Despacho há 22 anos. Desde 2007, trabalhava como agente de serviços gerais na Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura. Deixou seis filhos e três netas.


Um mês antes do crime, Adalgisa contou a história da vida dela em uma série de vídeos para a Semana da Mulher produzida pela Prefeitura de Bom Despacho. Na data da divulgação, em 11 de março, ela disse que não tinha medo de coisa ruim que acontecesse, pois sabia lidar com tudo por causa das dificuldades que passou na vida.




Comentarios


bottom of page