Buscar
  • Ricardo Welbert

Renovação de concessão da Ferrovia Centro-Atlântica é discutida em Divinópolis


Uma das locomotivas da VLI (Foto: Divulgação)

Representantes do Executivo e do Legislativo de Divinópolis participaram de uma audiência pública na última sexta-feira (dia 10) para discutir a renovação, por mais 30 anos, do contrato de concessão da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), que corta o município.


Participe do grupo de notícias da MAIS! no WhatsApp


O deputado federal Domingos Sávio (PSDB) participou da audiência. Ele afirma que considera a ferrovia como algo importante para a cidade - cuja história está diretamente ligada à passagem dos trilhos de ferro.


"Mas, nós não podemos continuar convivendo com os problemas da ferrovia e, pior, ter uma renovação por mais 30 anos, sem enfrentar esses problemas. Problemas de mobilidade urbana. Ou seja: travessia sobre as linhas, sem segurança. problemas da ausência de terminal de carga e de passageiros. A gente fica com o barulho de trem. Com as vantagens, os benefícios, fica a empresa que opera".

Domingos Sávio fala durante audiência na Câmara de Divinópolis (Foto: Otacílio Neto)

Ainda na perspectiva de Sávio, a linha férrea precisa ser usada não só pra receber, mas também exportar mercadorias.


"O setor siderúrgico, as fundições, a moda, o setor moveleiro de Carmo do Cajuru e vai por aí afora. O setor agrícola, que tá crescendo, não se beneficiam da ferrovia. A cidade não se beneficia da ferrovia. Ela passa pelas cidades, gera problema e não para para gerar benefícios. Isso está errado".


A proposta de renovação da FCA já está em análise pelo governo federal.


Operadora


A FCA surgiu a partir da desestatização da Rede Ferroviária Federal S.A. (RFFSA), em junho de 1996, e está sob o controle da VLI desde 2011. A Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) é a maior ferrovia do Brasil. Conectando sete estados e o Distrito Federal, as linhas da FCA são a principal via de integração entre as regiões Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste.


De 2016 a 2019, a FCA recebeu investimentos de cerca de R$ 2 bilhões, que permitiram a modernização da linha férrea, a aquisição de locomotivas e vagões, a construção de novas oficinas de manutenção e de novos terminais de recebimento de carga. Tudo isso com a geração de 5 mil empregos diretos e formação de mão de obra especializada.


"A VLI se conecta com uma grande certeza: o Brasil avança com a ferrovia Centro-Atlântica. Por isso a renovação da sua concessão é um passo fundamental para que a FCA continue movimentando as nossas riquezas e contribuindo para o desenvolvimento do país".

Ainda de acordo com a VLI, a concessão permitirá a antecipação de um novo ciclo de investimentos, gerando uma série de benefícios, como desenvolvimento de setores como agronegócio, fertilizantes, siderurgia, construção e industrializados.


"Fomento à indústria e modernização da infraestrutura nacional, além da compra de 353 locomotivas e 367 vagões. Aumento de 15% no volume de cargas movimentadas, oferecendo ainda mais eficiência para o transporte brasileiro", finaliza.



7 visualizações0 comentário